Estado recebe o reforço de 84 novos bombeiros militares

Na região Carbonífera, a expectativa é receber três soldados

Por Portal de Notícias 20/11/2020 - 14:17 hs
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Estado recebe o reforço de 84 novos bombeiros militares
Soldados irão para batalhões de P. Alegre, S. Leopoldo, Rio Grande, Caxias, Passo Fundo e Canoas

O governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), celebrou, na manhã desta sexta-feira (20/11), a formatura de 84 novos soldados. Os militares finalizaram o Curso Básico de Formação Bombeiro Militar (CBFBM) neste mês e estão prontos para integrar as unidades de atendimento do CBMRS no Estado. A solenidade de formatura ocorreu no Ginásio Gigantinho, na capital, e contou com a participação do governador Eduardo Leite, paraninfo da turma.
Os novos soldados irão reforçar os batalhões de Porto Alegre, São Leopoldo, Rio Grande, Caxias do Sul, Passo Fundo e Canoas, atendendo 27 cidades, entre elas a região Carbonífera, onde a expectativa é receber três bombeiros em São Jerônimo, que é subordinado a Canoas.

Entre para o grupo do Portal de Notícias no Telegram e receba notícias da região

Para fazer a destinação dos novos servidores, de modo a melhor atender todo o Estado, o CBMRS realizou um planejamento estratégico com critérios para lotação. Em primeiro lugar, a corporação distribuiu os novos soldados de forma a manter um efetivo mínimo de 20 bombeiros militares por batalhão, viabilizando desta forma a atuação das guarnições com a quantidade mínima estabelecida, respeitado os afastamentos ordinários e extraordinários. Também foi percebida a necessidade de reforço operacional e na prevenção de incêndios de grandes centros, como Porto Alegre e Canoas.
- A formatura faz parte da nossa estratégia inédita de reforço dos efetivos. Para não deixar abrir defasagem, programamos reposições todos os anos. Estamos trabalhando para oferecer a melhor estrutura física, material, equipamentos e viaturas para o atendimento das funções do Corpo de Bombeiros. Em última instância, nenhum dos equipamentos funciona sem as pessoas, nenhum caminhão salva a vida de quem está ameaçado. São, efetivamente, as pessoas, homens e mulheres que oferecem as próprias vidas para salvar outras - disse o governador.

O governador foi o paraninfo dos novos bombeiros que irão atuar em 27 cidades gaúchas - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

O estudo para destinação de efetivo contempla o Programa Transversal e Estruturante de Segurança Pública RS Seguro, que tem entre as premissas o investimento qualificado para garantir o melhor atendimento ao povo gaúcho. A turma de novos soldados integra o cronograma de reposição de efetivo da Segurança Pública e Administração Penitenciária, lançado pelo governo do Estado em novembro de 2019. Ainda estão previstos dois chamamentos em 2021 para o cargo de soldado do CBMRS, totalizando as 301 vagas abertas.
O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel César Eduardo Bonfanti, destacou os investimentos do Estado para o CBMRS, mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19.
- Melhoramos significativamente as condições de trabalho de nossos servidores, com a aquisição de equipamentos de salvamento, viaturas de combate a incêndio, equipamentos de proteção individual e respiratória. São investimentos que garantem que, até o final do ano, teremos a maior e melhor frota de combate à incêndios da história da capital. Na área de prevenção, conseguimos reduzir os prazos para fornecimento de alvará de proteção contra incêndio a números nunca alcançados, com prazo máximo de 20 dias. Esse é o resultado do investimento do Estado e do empenho de nossos servidores - declarou.
O secretário adjunto da Segurança Pública, coronel Marcelo Gomes Frota, representou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, afastado do trabalho presencial em recuperação da Covid-19. Oficial Militar do Corpo de Bombeiros, Frota falou sobre a missão de integrar a corporação.
- Ser bombeiro é garantir a máxima eficiência na prestação de serviços. O desafio é enorme. O combate aos incêndios, onde quer que eles ocorram, os salvamentos, sejam no mar, em deslizamentos, nas enchentes, na altura ou em águas com visibilidade zero. Ser bombeiro militar é mais do que entrar em uma carreira de Estado, ser bombeiro é atender a uma vocação - completou.








Deixe seu Comentário

Os comentários de leitores, no site ou em redes sociais, não representam a opinião do Portal de Notícias e são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores, que poderão ser responsabilizados legalmente pelo seu conteúdo.