Pedido de cassação do mandato de Claudionor Nilson tramita no Legislativo de Charqueadas

Vereador é acusado de ato de racismo em áudio que vazou na internet

Por Portal de Notícias 06/12/2017 - 18:22 hs
Foto: Banco de Dados
  Pedido de cassação do mandato de Claudionor Nilson tramita no Legislativo de Charqueadas
Claudionor Nilson (E) pode ser cassado por falta de decoro parlamentar

Cauê Florisbal

O presidente da Câmara de Vereadores de Charqueadas, Adriano Alves (Alemão, PDT) recebeu na última terça-feira, 5, o pedido de abertura de um processo para cassação do mandato do vereador Claudionor Nilson (Nenê, PDT) por quebra de decoro parlamentar. O pedido foi enviando por Marta Eliane de Freitas, servidora da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

Um áudio atribuído a Claudionor Nilson criticando o movimento de agentes penitenciários que pede melhorias na ERS-401, e chamando o líder da categoria de “nego” gerou polêmica e revolta em Charqueadas na última semana. O áudio circulou através do aplicativo de mensagens de WhatsApp e teve forte repercussão negativa pelo conteúdo considerado racista e de desrespeito à categoria dos servidores penitenciários.

“Eu passei pra ele aquela foto que saiu no jornal, aqui da lombada (...). Ele vai entender o recado. Procurei as autoridades, mas não foi capaz de dizer que alguma coisa foi feita, né? Mas é sempre assim, aquele ‘nego’ eu já tinha visto a cara dele lá. Isso aí é ‘acomunado’ lá com o Chiquinho, aquela tropa de sem-vergonha, mas eles vão vir de novo”, diz a gravação.

A mensagem teria sido encaminhada por engano pelo próprio vereador para Itamar Goulart Souza, presidente da Associação dos Servidores Penitenciários de Charqueadas (ASPEC).

O trecho onde Nilson fala “’acomunado’ lá com o Chiquinho” seria referente ao vereador José Francisco Silva (Chiquinho, PDT), que também é servidor da Susepe.

Silva falou na tribuna sobre o acontecido. Nilson se retirou do plenário do Legislativo durante a fala de Silva.

- Foi surpresa para mim quando houve essa agressão a minha classe e a um colega por injúrias racistas. A classe se mobilizou para conseguir um trevo na ERS-401, que iria garantir mais segurança no local e foi atacada verbalmente. Isso aí é falta decoro e pelo artigo 201 é motivo de cassação – afirma Silva.

O movimento realizado na ERS-401 no dia 25 de novembro era organizado pela Associação dos Servidores Penitenciário de Charqueadas (Aspec). Silva afirma que não estava no dia e não fazia parte da organização do manifesto.

- Eu não fiz parte do movimento, foi uma iniciativa dos colegas. Eu apoio o movimento, mas eu não convoquei os colegas, foi uma luta da classe por melhorias – disse o vereador.

O presidente Adriano Alves voltou a pedir desculpas à categoria e reafirmou que o Legislativo irá adotar os procedimentos legais quanto ao pedido. Caso Nilson seja cassado, quem assume a cadeira é o suplente Gilvan Pinheiro (PDT), que não se reelegeu nas últimas eleições municipais.