Começa comercialização de moranguinhos produzidos na Colônia Penal Agrícola de Charqueadas

Frutas são produzidas por 30 detentos envolvidos no projeto Estufa I desenvolvido na casa prisional

Por Portal de Notícias 11/08/2017 - 15:36 hs
Foto: Divulgação SDSTJDH
Começa comercialização de moranguinhos produzidos na Colônia Penal Agrícola de Charqueadas
A venda de 34 quilos de morango rendeu R$ 340 para o conselho da Comarca de Charqueadas

A primeira venda de moranguinhos produzidos nas duas estufas da Colônia Penal Agrícola de Charqueadas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi efetivada na sexta-feira, 4. A compra de 34 quilos do produto foi feita pelo pequeno agricultor Michel Bernardi para comercialização na feira de produtores do município, que ocorre aos sábados e às quartas-feiras, no Centro de Charqueadas.

A produção total da Colônia Penal Agrícola está estimada em até quatro toneladas de morangos sem conservantes. A primeira comercialização rendeu R$ 340, valor depositado para o Conselho da Comunidade Comarca de Charqueadas. Estes valores serão revertidos para o pagamento dos apenados que trabalharam na produção dos morangos, bem como para a manutenção e ampliação das estufas.

Cerca de 30 detentos fazem parte do projeto e estão envolvidos diretamente no plantio, com ajuda e orientação de agentes penitenciários e técnicos da Emater RS. Eles recebem um salário mensal e a redução de um dia da pena a cada três dias trabalhados, como previsto em lei.

A iniciativa, chamada de Estufa I, foi criada no ano passado pela ouvidora da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH), Silvana Oliveira. Devido a várias parcerias, o governo do Estado não gasta qualquer valor com o desenvolvimento do projeto, que foi selecionado para o Premio Innovare, do Ministério da Justiça.

Conforme o diretor da Colônia Penal Agrícola, Rogério Mota, este é o primeiro projeto realizado nestes moldes no Rio Grande do Sul.

- Partiremos para a produção e futura comercialização de outros produtos hortifrutigranjeiros nos próximos meses. A CPA está se tornado referência no tratamento e ressocialização no Estado – disse Mota.

 

Outros cinco presídios estão em fase de implantação do projeto: um em Caxias do Sul, outro em Taquara, o Instituto Psiquiátrico Forense e o Instituto Penal Irmão Miguel Dario, em Porto Alegre, e o Instituto Penal de Charqueadas.