Charqueadas estuda reativação da coleta seletiva de lixo

Prefeitura fará parcerias com empresas para custear o projeto

Por Portal de Notícias 04/08/2017 - 14:15 hs
Foto: Divilgação
Charqueadas estuda reativação da coleta seletiva de lixo
Prefeito e membros do Executivo visitaram a usina de reciclagem desativada

O município de Charqueadas deverá voltar a contar com o serviço de coleta seletiva de lixo. Segundo o engenheiro ambiental Cássio Souza, coordenador de Meio Ambiente da Prefeitura, o Executivo está em tratativas para dar início ao projeto, mais ainda há previsão de início da coleta.

Sem contar com a coleta seletiva desde 2012, a o retorno do serviço vai implicar também na reativação da usina de reciclagem, localizada ao lado do Parque de Eventos, e irá gerar empregos diretos e indiretos. Além disso, deverá reduzir em cerca de 30% dos custos com a coleta de lixo, que hoje são de R$ 1,9 milhão por ano.

O serviço de coleta seletiva tem um custo estimado anual entre R$ 300 mil e R$ 600 mil. A Coordenadoria do Meio Ambiente estuda parcerias com empresas do setor privado para ajudar a custear o projeto. Segundo Cássio Souza, não será criada nenhuma nova taxa para implantação da coleta seletiva.

Antes de iniciar o novo processo de coleta, profissionais da Coordenadoria de Meio Ambiente analisam os tipos de resíduos que são produzidos na cidade.

- Estamos estudando os tipos de resíduos que existem no município e entrando em contato com algumas cooperativas para ver qual irá executar o serviço. Mesmo que as cooperativas sejam de fora, a mão de obra será de Charqueadas. O serviço de coleta seletiva vai gerar cerca de vinte novos empregos – revela Souza.

Campanhas de conscientização para incentivar a população sobre a coleta serão realizadas na cidade. A Coordenadoria do Meio Ambiente está conversando com a Secretaria Municipal de Educação para que seja realizada uma campanha de conscientização nas escolas municipais.

 

Na foto, a partir da esquerda: chefe de Governo, João Caldeira, prefeito Simon Heberle, coordenador do Meio Ambiente, Cássio Souza, e o chefe de Gabinete, Lauro Campos